sábado, 2 de agosto de 2014

Formação continuada: necessidade urgente

Sábado: 02 de Agosto de 2014
POSTADO POR ALDEMIR MARTINS

Formação continuada: necessidade urgente

Um estudo recente, resultante de uma parceria entre o Instituto Ayrton Senna e o Boston Consulting Group (BCG), revela que a maior parte dos programas de formação continuada oferecida para o professorado brasileiro não melhora as condições de ensino e é, portanto, incompatível com a necessidade de transformar a educação no país. O trabalho, Formação continuada de professores no Brasil, tem como base 2.732 depoimentos obtidos com docentes (26%), diretores (51%), coordenadores pedagógicos (18%) e secretários de Educação e supervisores de ensino (2%).

A meu ver, a formação continuada é condição estratégica sempre que o tema em discussão for a consolidação de um sistema de educação de qualidade, sobretudo quando se tem em mente que a formação inicial dos professores ainda se mostra, lamentavelmente, apartada da realidade da sala de aula. Nesse sentido, o estudo recém-apresentado conclui que faltam incentivos formais (ações de formação continuada) e que, quando eles existem, a aplicação é baixa.

Outras constatações importantes, destacadas por mais de 70% dos entrevistados, são o caráter genérico das atividades propostas e o fato de elas ocorrerem fora das salas de aula. Essas queixas têm a ver justamente com a falta de ações personalizadas, de acordo com especificidades regionais e/ou culturais, e práticas. As respostas, por sua vez, passam pela integração do conhecimento teórico com a prática da sala de aula e pela inclusão das experiências do mundo atual no ambiente educacional contemporâneo. É preciso proporcionar conhecimento articulado com a prática docente, com a ampliação do universo cultural dos professores e das comunidades e com a apropriação das novas tecnologias digitais.

O trabalho aponta ainda que aproximadamente 2 milhões de professores em atividade no Brasil têm necessidade de capacitação. Ao mesmo tempo, o país carece de professores. Diante desse quadro, a educação continuada é a melhor medida de curto prazo a ser tomada no sentido de promover a qualidade de nossa educação. A solução, no entanto, exige mais. Além de processos de formação inicial e continuada integrados, e harmonizados com as necessidades peculiares e globais dos alunos, o sistema educacional precisa de mais recursos materiais, plano de carreira para os professores, remuneração adequada e políticas estabelecidas com a efetiva participação dos profissionais de educação.


Nenhum comentário: