domingo, 9 de novembro de 2014

4ª Feira de Ciências em Mossoró e a Escola Walfredo Gurgel de Antonio Martins foi destaque.


4ª Feira de Ciências movimenta Expocenter e a Escola Walfredo Gurgel de Antonio Martins foi destaque em Mossoró.


Ao todo são 200 trabalhos expostos no evento, apresentados por alunos dos ensinos médio e fundamental das escolas da rede pública estadual. A cerimônia de premiação aconteceu Sábado as 14hs com a presença da Governadora.




Alunos de várias escolas públicas de Mossoró e região mostraram os resultados de seus projetos de pesquisa  no Centro de Exposições e Eventos Enéas Negreiros (EXPOCENTER), durante a IV Feira de Ciências do Semiárido Potiguar. 

O evento ocorre através de uma parceria entre a Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA), a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e a Secretaria de Estado de Educação e Cultura/RN.
O professor e coordenador da Feira de Ciências, Felipe Ribeiro, explica que 200 trabalhos foram expostos no evento, apresentados por alunos dos ensinos médio e fundamental das escolas da rede pública estadual. “Eles passaram por etapas de preparação nos seminários das Direds e os melhores foram escolhidos para estarem aqui”, disse.

A ideia, segundo o coordenador, é aproximar os alunos de assuntos do cotidiano, que englobam todas as áreas do conhecimento. “Não vale nota em disciplinas escolares, mas vale o conhecimento e eles serão premiados com credenciais para participarem de eventos como a Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (FEBRACE), em São Paulo, onde vão ser selecionados cinco projetos, além do Fórum Jovens Cientistas, em Londres, e a Milset, que é uma feira internacional, em Fortaleza”, destacou o professor Felipe Ribeiro.

Os prêmios forão escolhidos e entregues de acordo com o assunto de cada projeto, sendo estes avaliados por professores e alunos de cursos de pós-graduação das universidades parceiras. A cerimônia de premiação aconteceu Sábado, as 14h, no Expocenter.

Os estudantes Henrique Warken e Lorenzo Tacques vieram do Rio Grande do Sul e estão em Mossoró apresentando um projeto que lhes deu premiação na última Febrace. Eles apresentaram o projeto “Refrigeração Sub Zero – com óleo em névoa”, em uma feira no RS, e foram premiados com credenciais para a Febrace, e de lá premiados para estarem em Mossoró.

Os estudantes explicam que o procedimento já existente se trata de um processo de usinagem mecânica utilizando óleo, e que por isso tem alto custo, além de causar danos ao meio ambiente. Já o objetivo do projeto deles é fazer uma válvula que substitua este processo. “Hoje já existe a utilização de ar gelado, mas é caro. Então conseguimos desenvolver uma válvula de refrigeração que realiza o processo sem custo, utilizando um fenômeno natural, o vortex”, explicou Henrique Warken.

O vortex, segundo Lourezo Tacques, tem no centro o ar gelado. “Reduzimos a uma válvula para obter as correntes. Há um componente que induz o movimento rotativo do ar, então conseguimos separa o gelado do quente”, afirmou.

A Escola Estadual Walfredo Gurgel de Antonio Martins na Direção da Professora Ana Lucia de Mesquita, apresentaram vários projetos que valeram premiação e credencias, mais detalhes na próxima semana. 

Reprodução do Blog Opotyguar


OS PARAENSE ESTÃO DE AZUL Pedro Minowa, venceu Zeca Pirão, é o novo presidente do Clube do Remo, o Leão do Norte.

OS PARAENSE ESTÃO DE AZUL
Pedro Minowa, venceu Zeca Pirão, é o novo presidente do Clube do Remo, o Leão do Norte.
Após quatro tentativas e um movimento intenso durante a votação, o empresário Pedro Minowa e o médico Henrique Custódio foram eleitos neste sábado (8) como novo presidente e vice, respectivamente, do Clube do Remo.
Na apuração das dez urnas disponibilizadas para o depósito do voto manual, a chapa “Remo: rumo à modernidade" desde o início liderou a contagem, recebendo 647 votos no total e vencendo as eleições por 18 votos de diferença.
Minowa já havia tentado se tornar presidente do Remo em outras oportunidades, mas nunca conseguiu alcançar seu objetivo. Neste ano, pela primeira vez na história do clube, o prcesso eleitoral ocorreu de forma direta.
“Um sonho mais que realizado. Agora eu vou cumprir se Deus quiser esses dois anos e posso partir porque eu realizei meu sonho”, comemorou Minowa emocionado.
A chapa 1 “Unidos Para a Luta”, representada por Zeca Pirão e Marco Antônio “Magnata”, obteve 629 votos.
Pirão e Magnata ficarão no cargo até o dia 31 de dezembro deste ano. Já a posse da nova presidência azulina está agendada para o dia 1º de janeiro de 2015.

Órfãos da Matemática

Órfãos da Matemática

Contam-se às centenas de milhares as pessoas que desistem de voltar aos estudos por se julgarem incapazes de aprender Matemática. Apesar de terem sido convencidas que voltar a estudar seria a única forma de se valorizarem profissionalmente, essas pessoas resistem à vontade de retornar aos estudos por continuarem acreditando na errada crença segundo a qual “a Matemática é assunto para as pessoas mais inteligentes”.


É igualmente assustadora a quantidade de jovens alunos do curso fundamental que não conseguem acompanhar a matéria dada em aulas de Matemática por não dominarem assuntos que lhes foram ensinados em anos anteriores. E, não acompanhando a matéria, ficam em sala como autênticos zumbis. Por isso, o abismo vai aumentando, juntamente com a aversão à Matemática.


Preocupante, também, é a quantidade de alunos que conseguiram ingressar nas universidades sem o necessário conhecimento de Matemática. Tais alunos ficam submetidos a um grande sacrifício para tentar acompanhar a matéria que faz parte da grade escolar.


Muitos deles abandonam a faculdade por não terem condições de acompanhar o curso devido à deficiência em Matemática Básica. Obviamente, tal problema tende a piorar com o intenso estímulo que tem sido dado ao acesso ao nível universitário.


Ninguém pode ter dúvida que é urgente a necessidade de reverter esse quadro.


Diante desta realidade, a pergunta que tem que ser respondida é: o que fazer para resgatar tais pessoas despreparadas?


Incontestavelmente, qualquer que seja o conjunto de providências adotadas, ele será inócuo se continuar desconsiderando a mais marcante característica da Matemática: a interligação entre suas diversas partes.


Acontece que, para que se entenda determinada parte da Matemática, é necessário que se conheça assuntos a ela interligados. Exemplo: é impossível uma pessoa entender logaritmos sem entender equações exponenciais, que, por sua vez, depende do entendimento de potências.


Além disso, a interligação também existe entre os diversos níveis de uma mesma parte da matéria. Por causa disso, é necessário que um determinado assunto seja estudado a partir de seus conceitos mais elementares. Afinal, como um aluno poderá entender, por exemplo, que “dois terços é maior que cinco nonos”, se não souber o significado de uma fração ordinária?


E é justamente essa indissolúvel interligação que faz a Matemática parecer difícil, a ponto de torná-la a maior responsável pela evasão escolar.
Por causa de citada interligação, alunos que não dominam determinadas partes da matéria não têm a menor condição de entender as aulas, por melhor que seja o professor.


E, sem entender as aulas, à medida que o tempo passa, o aluno despreparado fica mais traumatizado com a matéria, criando um abismo cada vez mais difícil de ser transposto.


Em outras palavras, se faltar um elo na corrente, todo o trabalho ficará prejudicado.


Diante do cenário acima descrito, vejamos alguns pontos indispensáveis à obtenção de êxito no resgate de alunos despreparados.


Antes de tudo – devido ao fato de um aluno despreparado ser, naturalmente, impaciente – é preciso convencê-lo, logo nos primeiros minutos, que ele é capaz de entender coisas que, no seu julgamento, eram incompreensíveis. É importante convencê-lo logo nos primeiros minutos para que sua atenção seja atraída. Ou seja, o aluno tem que ser conquistado de imediato. Só aí ele ficará motivado. E a motivação traz o sucesso, que, por sua vez, provoca mais motivação, formando-se um autêntico círculo virtuoso.


Ao apresentar um assunto a um aluno despreparado, é necessário proporcionar-lhe uma rápida e eficiente revisão dos pré-requisitos indispensáveis ao entendimento do assunto. Logicamente, referida revisão deve ser aplicada de maneira muito especial. Nela, o “entendimento” – aspecto indispensável ao domínio da Matemática – não pode ser prejudicado pela busca da rapidez e da eficiência.


Da maior importância é o uso de palavras com as quais o aluno esteja familiarizado. Isso, juntamente com a escolha de exemplos adequados, colaborará para passar ao aluno a impressão que o professor está conversando com ele individualmente, mesmo que ele esteja numa sala com dezenas de colegas.


Resumidamente, para o sucesso da recuperação de um aluno despreparado, é de todo indispensável que o mesmo seja convencido de uma coisa: ele é capaz de entender tudo aquilo que, um dia – erradamente – lhe colocaram na cabeça que só era possível ser compreendido por pessoas dotadas de maior inteligência.


Concluindo, uma grave mensagem: É de todo necessário que se resgate a imensa dívida que o país tem com o exército de pessoas despreparadas, aqui chamadas de “Órfãos da Matemática”.


PS:


1 – Sobre o mesmo assunto (resgate daqueles que não aprenderam Matemática quando cursaram as séries nas quais os assuntos foram estudados) sugerimos o vídeo “Matemática Básica: Em Busca do Tempo Perdido” cujo link se encontra no YouTube.


2 – Estamos disponibilizando a palestra “Desmistificando a Matemática”, proferida para os alunos de Engenharia de Produção da UNIG- Universidade Iguaçu e para os alunos de Engenharia Mecânica da Faculdade Redentor, ambas em Itaperuna (RJ), em outubro de 2014. Apesar de tal palestra (por meio da qual substanciais conhecimentos de Derivadas de uma Função são transmitidos em apenas uma hora) não ter ligação com os “Órfãos da Matemática”, já que aborda a Matemática Superior, julgamos por bem disponibilizá-la com o único objetivo de demonstrar que a Matemática é mais fácil que parece.

Os interessados devem nos enviar o pedido por e-mail.

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por João Vinhosa
João Vinhosa é Engenheiro - joaobatistavinhosa@gmail.com

Proposta de Reformas - Sistema educacional


Proposta de Reformas - Sistema educacional



Qualquer governo sério que eventualmente tivermos no futuro deverá implantar uma reforma no sistema educacional .
As escolas primárias deverão ser mantidas pelas municipalidades.

O corpo docente deve ser formado por pessoas com curso superior completo, maiores de vinte e cinco anos e muito bem pagos.

O currículo deverá ser o seguinte:

1° ano – Noções de higiene pessoal;
-Noções de Pátria, Família e Fé religiosa;
-Noções de trânsito,
-Noções de tempo e espaço.

2°ano - Noções de história do Brasil;
-Noções de alfabeto e sílabas;
-Noções de pesos e medidas;
-Noções de dinheiro e moeda.

3°ano - Início de alfabetização;
-Início de ensino de aritmética (quatro operações) ;
-Início de ensino de desenho;
-Iniciação musical (Hino Nacional).

4°ano - Complementação da plena alfabetização.
-Leitura e interpretação de textos da literatura infantil;
-Ensino da apreciação da natureza (fauna e flora)
-Rudimentos de agricultura e alimentação.

Ao completar o curso primário a criança estará apta a sobreviver.


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.
Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira